quarta-feira, 15 de junho de 2011

Aula: Amor a Deus (7/9 anos)



OBJETIVO: Neste tema, levar a criança a reconhecer o Criador pelo mundo que a circunda: as plantas, os animais, a família. Ela deverá sentir o amor  de Deus por todas as criaturas e a perfeição da Sua obra, que nenhum homem pode fazer igual.
Que Deus fez este mundo para nós com muito amor. Falar de Deus da forma mais simples possível. Voltando a ensinar, para reforço e para os alunos que são novos, que Jesus não é Deus, mas seu filho.
Mostrar à criança a diferença entre ambos, apresentando Deus como Pai Criador e Jesus como Irmão e Mestre. Não esquecer de esclarecer a criança, que todas as ilustrações que temos são de Jesus e não de Deus.
Levar a criança a sentir que Deus lhe oferece todas as condições para que cresça espiritualmente em alegria, amor e aprendizado. 


QUADRO DE IMAGENS: (ver exemplo) As aulas deverão ser bem ilustradas


CANTINHO DO SABE: É importante cuidarmos e respeitarmos o que há na natureza, pois tudo é obra de Deus
(A sala deverá ter um cantinho onde serão colada frases relacionadas às aulas.Na aula seguinte reler as frases e perguntar se lembram da historinha, fazendo uma rápida recapitulação com o objetivo de manter a  sequência do estudo).
HISTÓRIA : O JARDINEIRO (ilustrações e atividade)
Eu conheço um jardineiro chamada Paulo, que trabalha na casa do senhor Carlos.
Vocês precisam ver como ele cuida bem das flores do jardim do senhor Carlos. Esse senhor é um homem muito ranzinza, que está sempre resmungando dele, porque quando ele está por perto, fica bravo por qualquer coisa.
Desde o dia em que Paulo começou a trabalhar na casa dele, os meninos perceberam que o seu trabalho era feito alegremente. Além disso, tratava a todos com muita bondade, inclusive a seu filho, Joãozinho, que o ajudava na limpeza do jardim.
Os dois meninos comentaram entre eles:
- Qual será o motivo de ele trabalhar assim alegre? Por que o papai não é como ele? Ah! Como seria bom se o papai também fosse assim!!
Luiz  teve a ideia de irem perguntar ao Paulo, o motivo de sua alegria constante. Quem sabe poderia ensinar a seu pai a ser também assim. E foram falar como jardineiro.
- Bom dia, Paulo!
- Bom dia meninos!
- Bom dia Joãozinho!
- bom dia! - respondeu Joãozinho.
- Paulo, nós queremos saber por que o senhor vive sempre cantando, sorrindo, assobiando!
Luiz logo se adiantou:
- Nós queremos saber, para ensinar ao papai a ser alegre como o senhor.
O Paulo deu um sorriso e exclamou:
- Esses meninos têm cada uma! - e foi dizendo - eu vivo alegre, porque gosto muito do meu trabalho. Sinto um grande prazer em cuidar das flores e das plantas, elas são tão belas e é preciso que cuidemos delas. Primeiro, tiro todo mato que está no meio da grama; depois, corto a grama e como estamos no inverno, eu a cubro com terra. Isto eu faço para ela não morrer de frio. Quando vier a primavera, ela, assim protegida, estará bonita e fresquinha. Com as flores, faço a mesma coisa; tiro as folhas secas, limpo bem em volta delas e as podo, para que, ao chegar a primavera, elas possam desabrochar bonitas e cheirosas. E vejo, assim meu trabalho recompensado. eu sou alegre, porque amo a Deus e a natureza que Ele criou. Como posso ficar triste com  este sol, que nos dá calor e que fica tão belo ao entardecer? Com o perfume suave das flores, com o canto harmonioso dos pássaros, com a beleza de uma noite de luar? E com tantas outra coisas belas da natureza?
Os meninos, admirados, ouviram o Paulo falar e nem piscaram o olho, porque não queriam perder nenhuma palavra do que ele dizia.
À noite, ao jantar, o Carlos sentou-se a mesa junto com os filhos e sua esposa, dona Marta. Os meninos não aguentaram esperar a oportunidade de contar a conversa que tinham tido com o Paulo.
O pai perguntou, então, o que tinham feito durante o dia. Ah! Os dois meninos aproveitaram a ocasião para lhe contar tudo o que tinham ouvido do jardineiro.
- Sabe, papai - falou Maurício - o senhor já reparou como o senhor Paulo é alegre e vive cantando?
-  E o que tem isso? - retrucou o pai.
- É que nós gostaríamos que o senhor também fosse assim - disse Luiz.
O Carlos ficou espantado, pois não esperava aquelas palavras.
- O Paulo nos disse, papai... - e aí, repetiram tudo o que o jardineiro lhes dissera naquela tarde.
O pai dos meninos ficou pensando em tudo o que acabara de escutar de seus filhos, mas nada disse. Naquela noite, demorou a dormir, pensando nas palavras dos meninos. No dia seguinte, quando ia para seu escritório, observou como o dia estava bonito e claro.
Nunca havia reparado naquela rua cheia de árvores, apesar de passar todos os dias por ali.
E naquela manhã, quando chegou ao seu escritório, todos se admiraram.
Ouviram o Carlos dizer:
- Bom dia! - sorrindo a todos.


ATIVIDADE:Distribuir o questionário (veja ) após respondido, distribuir a folha de atividade para as crianças colorirem .O evangelizador poderá levar papel cartão colorido deixando uma borda de 2 cm. As criança colam e fazem um quando.



SUGESTÃO PARA SER ENTREGUE AOS PAIS ATRAVÉS DA CRIANÇA: (as crianças gostam e os pais também)

 Reflexão:
"Ao levantar-se, agradeça a Deus a bênção da vida, pela manhã."
                                    
Fonte:Evangelização Infanto-Juvenil - Aliança Espírita Evangélica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua mensagem. Será publicada após aprovação.

Grupo de Evangelização - Faça parte você também

Evangelização Espírita Infantil - Visite

Evangelização Espírita Infantil - Visite
Página do facebook

Evangelização Espírita ME - Visite

Evangelização Espírita ME - Visite
Página do Facebook
" A missão do Espiritismo é Evangelizar!

Quando Ensina - Transmite!
Quando Educa - Disciplina!
Quando Evangeliza - Salva!"

Amélia Rodrigues